gravatar

SAUDADE SANGRENTA




A tua saudade sangrou no meu peito
Liquefez-se, transbordou, tornou-se rio
E se esvaiu por sob minhas pálpebras!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

AMOR, IMACULADO AMOR



Teu dorso elegante
Teu olhar encantador
Faz-me ficar galante
Pra você, ó meu amor!
Quando me beijas
Sou transportado
Ao mundo da lua...
Menina, essa pele tua
Tem cheiro e cor
De pecado!

Ver-te como vieste ao mundo
Enche-me de prazer total;
Fazer-te um carinho profundo
É o que mais gosto, afinal!

Quando unidos fazemos amor
Somos quais dois inocentes
Que num imaculado leito
Se amam de um modo perfeito,
Perfeito amor sem precedentes!

Amo-te com ternura,
Minha linda sereia
E sempre te hei de amar
Pois com você ficar
Minh'alma anseia!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

AMO-TE


O que tenho a dizer-te
Está guardado
No lado oculto da lua
O que tenho a declarar-te
É inefável
Nos inefáveis lábios
Dos serafins!
É a canção amiga
Sonhada por Drummond
É a Pasárgada inatingível
De Manuel Bandeira
É a volúpia na madrugada
De Vinícius!
O que tenho à dizer-te é:
Amo-te!
Amo-te e ninguém
Pode mudar isso!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

QUERO ESTAR CONTIGO


De teus olhos talvez seja a esmeralda
Talvez seja o sol de teus cabelos
Mas há algo em ti, ó Esmeralda,
Que me faz embevecer e subir pelos

Muros de teu calor! És a grinalda
De lírios voluptuosos, amarelos,
E que sempre está comigo, espalda
Atada à minh'alma por peçuelos!

Talvez seja o sorriso de lagarto
Submerso nos escombros da paixão
Talvez seja o serpear de teu umbigo...

Talvez seja a fresta aberta em teu quarto
Talvez seja o palpitar do coração,
Mas algo em ti me chama a estar contigo!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

INSANO DEVANEIO


Ó meu amor! Meu grande e sublime amor!
É com uma tão imensurável amargura
Que recordo a tristeza em que você me deixou...
Estou acabrunado, cheio de tédio, tristura!
A melacolia a minh'alma inundou
Desde o trágico momento de despedida dura...

Encantadora mulher, minha meiga musa,
Iluminaste o meu ser com a luz do teu olhar!
Mas meu amor retribuiste com uma recusa
E sem dó me magoaste, e eu, a chorar
Não mais hei de buscar outra criatura
Durante o meu viver que a tudo se alheia,
Pois somente tu és minha morena, minha sereia!

Queria-te mais que tudo! Queria-te eternamente
A gozar das maravilhas do norte e do sul...
Queria ser teu rei! No meu reinado certamente
Pássaros em revoadas surgiriam pelo Azul
Esparzindo através de seu canto em todo o lugar
A quimérica felicidade! O mistério de amar!...

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

INDRISO DE LUA NOVA


A lua nova se esconde sorrateira
Às 04:09 da manhã no outro lado
Do mundo ouvindo as juras de amor

Da gueixa que lamenta na ribeira
Do Shinano a perda de seu amado
Que o destino pra longe de si levou.

A lua nova, agora em terra brasílica,

Põe em minh'alma essa tristeza lírica!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

TEU AMADO, TUA VOLÚPIA


Eu sou o teu amado
O teu amigo
E companheiro
Aquele que te lambe
Com os olhos
E trago em minhas
Mãos os sonhos
Que embalam
Teus desejos
Tua louca vontade
De ser possuída
Em núpcias!
Sou teu tudo, tua vida,
Tua volúpia!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

TERRA E CÉU


Estou aqui
A dar-te o meu sorriso
Um sorriso
Sem promessas vãs
Estou aqui
A dar-te o meu silêncio
Intenso
Saudando auroras
E manhãs.

Estou aqui
A dizer-te que inútil
É procurar-te em meus olhos
Tu sou eu;
Tua alma está tecida
Inconsútil
Na epiderme de minh'alma
Terra e céu!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

SAUDADE DE VOCÊ


A brisa segredou ao meu ouvido
A triste história de um grande amor
Persistente, não deu-se por vencido
Embora o tempo criasse um bolor

Nas meigas carícias, nos sentidos...
Vulcão extinto que inda guarda o calor,
Vontade de expelir os seus brasidos,
Eflúvios borbulhantes de uma flor!

A brisa mansa afagou a minha alma
Nos instantes de amena paz e calma
E me trouxe a lembrança, sem saber

Da menina que amei em minha infância
De um amor sincero e puro, de criança...
Saudade! que saudade de você!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SILÊNCIO, SOMENTE SILÊNCIO!


No silêncio absurdo das horas
Deitado ao travesseiro
Frente a frente ao espelho
Procuro-te em minha retina
E sinto a saudade
Inundar meus olhos!
Que foi feito das juras
Do "sempre vou te amar"
Se constato, angustiado,
Que és apenas uma tênue
Lembrança no desvão
Esquecido de minha memória?

Se minhas pálpebras
Castigadas pelo tempo
Denunciam que não tenho
Teu colo, tua ternura,
Teu afeto?

Onde está você, amor?

Por que se esconde assim
De mim
Por que foges de meus
Longos abraços
Cheios de estrelas cadentes?!

No silêncio absurdo das horas
Procuro-te e encontro
Silêncio, somente silêncio!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

A UMA PANTERA À PROCURA DE SUA PRESA...



Nenhum tratado de filosofia
Explica as armadilhas do amor!
Livros e líricos versos de poesia,
Lucidez, loucura, febre, fantasia...
Yes!... Ninguém explica essa flor

Cálida que trazes no sorriso
Anunciando a aurora resplendente
Vertiginosa luz do paraíso
Acendendo a volúpia incandescente
Louca libido que trago em meu peito
Cheio de adeuses, saudades, solidão
A clamar pelo eterno amor perfeito
No oásis de teu corpo - furacão!
Templo sagrado, tempo suntuoso,
Enchendo-me de paz, ternura e gozo!

Dormes, tranquila, hoje, em teu berço
Eternizada musa minha neste verso!

Sofisticada te banhas, Vênus, na correnteza,
Onde só eu te possa ver e descrever:
Uma pantera à procura de sua presa
Soltando as garras felinas da paixão
Amarrando de vez meu coração!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

UM INDRISO À BANDEIRA NACIONAL


Com a altivez dos versos parnasianos
Um dia foste exaltada por Bilac
Em um  sublime hino com amor!

Entre nós, quanto tempo! Passaram anos;
Mas continuas firme, augusta, em destaque
Por isso, neste indriso, dou-te o meu louvor!

Que os brasileiros, todos, do mais velho à criança

Saúdem-te, hoje, ó "lindo pendão da esperança!"

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

LUA MINGUANTE DE NOVEMBRO


A lua está pálida de inveja
De tua exuberância de mulher
De tuas formas voluptuosas
De tua sutil sensualidade!

A lua (pra que ninguém a veja)
Se vai minguando até desaparecer
Pequeno halo de nuvens vaporosas
Debilitada pelas luzes da cidade!

A lua silente na madrugada fria
Vai tecendo o raiar de um novo dia
Propício às amorosas aventuras!

E tu, mulher perfeita, vais tecendo
A saudade que em meu peito decrescendo
Liquefaz-se em carícias e ternuras!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

É LINDO…



É lindo o amor que une dois corações
Em um só que então pulsa feliz
E vive uma vida plena de emoções
E de prazeres como ele sempre quis!
É lindo o amor que de duas almas apaixonadas
Faz uma só pelos laços inquebrantáveis do amor…
É lindo o botão de uma roseira cálida
Que na manhã primaveril desabrocha em flor…

Quão maravilhoso, oh
Qual esplêndido é o amor!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

PROMESSA QUEBRADA


Mas olho;
Mas procuro;
Mas fuço;
E os espinhos
voam das rosas
E maculam
Minhas mãos
De um perfume
Adocicado
De sangue!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

TECENDO O AMANHÃ


















Pássaro, saúdo o nascer do sol
Acariciando o rosto do dia
Menino assim parido pela noite

E meu canto ecoa pelo arrebol
Levando a benfazeja alegria
Àqueles que hão de enfrentar o açoite

Da labuta diária pela vida.

E minha gente sorri agradecida!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI Nº 10


Gozo matinal -
Bem feliz, na torneira,
Canarinho banha!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

INDRISO SENSUAL


Vem e desnuda-me com teus dentes de absinto
Penetra em minha pele com tua língua
Possui-me sem reservas, sem pudor...

Vou te fazer sentir tudo o que sinto,
A febre que me arde dessa íngua
Desse tesão a quem chamam amor...

Vem, quero viver contigo um gozo pleno

Desmanchar-me toda em teu corpo moreno!

by Yara Cínthya Marcondes da Silveira
Leia Mais ››


gravatar

MUITO MAIS QUE MIRAGEM



Se o meu nome indelével ecoa
Nos momentos de inaudível silêncio
Em teu pensar que já se esboroa
E se esvai pela estrada do tempo....

Se meus olhos inda trazem a marca
Dos nossos lindos sonhos de ouro
Apesar de ter-nos sido a vida ingrata,
É por que fomos feitos um para o outro....

Por isso grito o teu nome no escuro
De minh'alma em total solidão
Escondido em sutil tatuagem

Além do corpo - n'alma e coração -
Esse amor é passado, presente e futuro...
Imortal, e muito mais que miragem!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

HINO DE EXALTAÇÃO AO PARÁ



Salve, ó terra de ricas florestas,
Terra imensa de meus ancestrais
Onde o sol adentrando as frestas
Das cabanas, inunda-as de paz.
Vê-las sempre coesas e unidas,
Laborando com força e vigor
É o sonho de milhares de vidas
Fecundadas ao sol do equador!

Teu destino é viver entre festas,
Que os teus sonhos traduzem reais
De aninhares pessoas honestas
Vindas dos longínquos corumbás
Que em chegando tão desiludidas
Em ti encontram conforto e calor
E as riquezas jamais escondidas
Do progresso, da paz e do amor!

Salve, ó terra de ricas florestas,
De infinitas belezas rurais
As tuas noites abrigam serestas
E os teus dias projetos, ideais!
Quanto dói-me tristes despedidas!
E eu te perco se algum dia me for;
Então louvo tuas matas floridas,
Fecundadas ao sol do equador!

Ó Pará, quanto orgulha ser filho,
De uma terra feliz, altaneira
Que se ufana de ser o tordilho
Da excelsa pátria mãe brasileira;
Eu te quero sublime e valente,
E de tua glória ser o consorte
Exultando por ser descendente
De um colosso, tão belo, e tão forte!

Juncaremos de flores teu trilho,
Pois que somos gente prazenteira
E em havendo na frente empecilho
Venceremos com a mão guerreira
Da União, pois somos boa semente!
Te queremos inteiro, sem corte,
Pois que és, ó Pará, a imponente
Do Brasil, sentinela do Norte!

E a deixar de manter esse brilho
Que ofusca glória vã, passageira,
Que não rima no nosso estribilho
E só quer manchar nossa bandeira
Preferimos que a vil serpente
Nos morda, que a dor nos conforte;
E a olhar te partirem, inclemente,
Preferimos, mil vezes, a Morte!

Salve, ó terra de rios gigantes
Que maiores no mundo não há
Rios d'aldeia do poeta distantes
Aos daqui não podem comparar
Esta terra é um bom nascedouro
De riquezas desde a antemanhã
Tem mais glórias que o simples calouro
D'Amazônia, princesa louçã!

Tudo em ti são encantos vibrantes:
Fauna e flora e o imenso rio-mar
Amazonas e os seus navegantes
Que buscam sempre se alimentar
De tu' exuberância - escoadouro
Que nos traz a alegria cunhã
E o mundo todo te inveja o louro
Desde a indústria à rudeza pagã.

Salve, ó terra de rios gigantes
Terra que eu sempre hei de amar
Declarando em altofalantes:
Sou de um país que se chama Pará!
Aos que querem levar nosso ouro
Nós diremos: Sai pra lá, acauã!
O Pará há de ser um só, o tesouro
D'Amazônia, princesa louçã!

by José Olímpio de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

A FACE ESPLÊNDIDA DA LUA (...E NOS DEIXAMOS FICAR NESSE PAÍS!)

 
                                      A Celso Viáfora e Nilson Chaves

Não são eternos os velhos de Brasília.
No entanto, algo estranho lá acontece:
Quem para lá se vai logo envelhece
E, assim, não é nenhuma maravilha

Que a maltratar o povo então comece.
Sina sinistra que já em Tordesilhas
O futuro selou da grande Ilha
De Vera Cruz! Poder que recrudesce

Nas mãos dos que dirigem o destino
Do povo cuja chance se extenua
"De se afirmar, de arrasar, de ser feliz!"

Mas, acontece que nosso olhar menino
Beija a face esplêndida da lua...
...E nos deixamos ficar nesse país!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

O AVESSO DE MINHA ALMA TORTA



Não! Não posso, nem quero ser Pessoa
Mas sou pessoa diversa do que sinto
Por isso às vezes em meus versos minto
Que sinto o que sinto numa boa!

"O poeta é um fingidor..." dita à toa
Essa frase soa como um absinto
Mas o contexto inteiro é labirinto
D'alma liberta que pra longe voa!

Sou múltiplo, por isso canto a vida.
Outras vezes simplesmente a detesto...
Indiferença?!... Meu ser não comporta!

Travam, meus outros eus,  luta renhida
Co' as palavras!... Por vezes os contesto
Com o avesso de minha alma torta!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

AO SOL QUE ARDE NA TARDE MELGACENSE...


doce 
desejo 
gostoso 
sabor 
mel 
de tua 
pele 
charme 
e calor 
loucura 
quimera 
vontade 
tesão 
ternura 
carinho 
beijo 
paixão

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

O SER QUE SOU


Nefelibata de alma e coração,
Um ser humano sempre em construção!
E mais não digo, já que meu universo
Está inteiro contido no meu verso!
Seja bem-vindo, pois, ao meu cantinho
E me descubra bem devagarzinho!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

O PÔR-DO-SOL DE MINHA TERRA


A minha terra
Foi por Deus abençoada
Por que desde a alvorada
Sua gente a cantar

Começa o dia
Pondo a mão já no batente
E se vai seguindo em frente
O poente a esperar!

Não há
Eu sei que não
Um pôr-do-sol
Como este, não!

Não há
Eu sei que não
Um pôr-do-sol
Como este, não!

Durante o dia
A gente da minha terra
Trava uma insana guerra
Para a vida melhorar

Na esperança
Em dias melhores no futuro
Ela imita o anuro
No poente a cantar...

Não há
Eu sei que não
Um pôr-do-sol
Como este, não!

Meu povo humilde
Leva a vida sorridente
Crendo em Deus Onipotente
Para lhe abençoar

No fim da tarde
Depois do dever cumprido
Eis meu povo tão sofrido
O poente a contemplar!

Não há
Eu sei que não
Um pôr-do-sol
Como este, não!

Não há
Eu sei que não
Um pôr-do-sol
Como este, não!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

COMO ASSIM? O QUE É SAUDADE?!




A saudade existe não porque
Estamos longe, mas porque
Um dia dividimos os mesmos lençóis!
A saudade é aquele sentimento
Que tormento pode causar
Quando eu e tu transforma em nós
E entre nós só há distância...
A saudade é esse ânsia
De estar juntinho a ti
E saber que sou amado
Apesar de...

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

MINHA OFERTA...


Não te ofereço a lua cheia, meu amor,
Pois que a dei à tua maior rival
Muito antes de eu te conhecer

Mas te oferto o plenilúnio dessa flor
Que de repente apareceu no meu quintal
Trazendo a primavera ao meu ser

Quando chegaste sorrateira, luminosa,

Pra minha vida em poesia versiprosa!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

INDRISO MELANCÓLICO


Hoje eu quero ficar a sós com o meu silêncio
Pra derrubar o muro de insensatez
Que me cerca a mostrar-me o não vivido...

Tenho um amor maior que a morte, nada vence-o;
E é tão bom vê-lo em total embriaguez
Entregue ao gozo supremo da libido

Que hoje quero com o meu silêncio ficar a sós

E na noite augusta do amor ouvir-lhe a voz!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

DIA DOS MORTOS, QUARTO CRESCENTE!


Hoje é um dia deprimente: Dia dos Mortos!
Dos que se foram ao encontro do Mistério...
E há aqueles que irão ao cemitério
Levar flores, condolências!... Absortos

Alguns nem perceberão que refrigério
Para muitos é morrer, mudar de portos...
E hão de vagar mortos-vivos em seus corpos
Sem perceber que estão no necrotério!

Dia de lágrimas, pesares, aflição,
Dor e angústia, tristeza e solidão...
Mas o poeta não se deixa abater

Pois em contraste a esse dia deprimente
No fim da tarde da lua o crescente
Luminoso no céu há de aparecer!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

UM POÇO DE CARÊNCIA


Eu preciso de um tempo
Pra pensar o que fazer
Com essa dor que me invade
Em formato de saudade
De saudade de você!
Eu preciso de ternura
Pra entoar uma canção
Que compus à luz da Lua
E que diz: Eu sou só tua
É teu somente o coração
Que me bate aqui no peito
Com vontade de chorar
Tua falta, tua ausência...
Sou um poço de carência
Te preciso para amar!

by Yara Cínthya Marcondes da Silveira
Leia Mais ››


Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar
E uma velha ternura de buldogue!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar...
Mas se razão faltar-lhe pra chorar,
É favor vir outro dia bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É buscar, em vão, na velha madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Horário de Brasília

Visitantes

Free counters!

Amigos On Line

Outras Saudades...