gravatar

UM POUQUINHO DE NADA


É sempre com um pouco de nada
Que os poetas construimos o tudo
De nossa intemerata poesia!

É bom deixar a alma abandonada
Vez em quando e quedar-se mudo
Celebrando a paz e a harmonia.

É bom seguir na vida sempre errante.

Alma do Poeta: metamorfose ambulante!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

DILACERADO CORAÇÃO


Amanheceu um triste inverno em minh'alma
Desnorteado e só na solidão
Que me aquebranta a paz, me tira a calma
Eu sofro, dilacerado coração!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

ÉS UM RAIO DE SOL


Marta,
Entraste na minha vida
Como um raio de sol num quarto escuro...
Eu estava tão sozinho e infeliz
À procura de uma luz: você!

Foi quanto penetraste em meu quarto
Pela fresta da porta
E encheste o meu ser com tua luz radiante!

Por que penetraste em minha vida
Tão de repente, sem avisar-me
E depois me prendeste com as teias do teu amor?

És como um raio de sol:
- A mim, tão pequenino poeta,
Inspiras nos momentos mais românticos
E radiante de ti faço o mais belo poema de amor!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

LUA NOVA, MULHER FRANZINA!


Tudo o que quero é pedir à lua nova
Que cresça logo e devolva-me o sorriso
Que perdi quando partiste e foi preciso
Chorar a tua ausência feito cova!

Mas agora já findou a minha prova
Pois que vens me trazendo o paraíso
Nas curvas de teu corpo, em teu riso
Despudorado e branco de lua nova!

Eis o que quero: tua alma cristalina
Tua inocência triste de menina
E o teu esbelto corpo de violão

Quero a música dos sonhos dedilhar
Em tuas cordas corpóreas e te amar
Ó lua nova, mulher franzina, meu tesão!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI N° 9


Suave ruflar de asas:
É a vida borboleteando
Em fins de setembro!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SOMENTE POR HOJE...


Somente por hoje vou quebrar o regime
Somente por hoje amanhã não tem mais!
Somente por hoje essa dor que me oprime
Hei de fruí-la num verso de ternura e paz!

Somente por hoje esse gênio do crime
Que perturba meu sono e de tudo é capaz
Somente por hoje e o mal se redime
Num gesto supremo de carinho audaz!

Somente por hoje vou fingir que não quero
Teus braços de nuvens e tua voz que seduz
somente por hoje vou curtir um bolero

Somente por hoje, vem, ó meu raio de luz!
Somente por hoje e sem mais lero-lero
Teu corpo inteiro vou sorvê-lo a flux!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

TOMAREI TUAS MÃOS...


Tomarei tuas mãos
Ensopadas em mel,
Banhadas de céu
E pelas desvãos
Da vida iremos
Minha'alma na tua
Caminhar pela lua
Em prados serenos!
As vozes do vento
transformadas em canto
Serão nosso encanto
E passatempo
Os finos matizes
Da natureza em flor
Hão de compor nosso amor
E seremos felizes!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

PARA SEMPRE EM MEU CORAÇÃO



Ainda que fosse tarde
Sem muito alarde
Chegaste
Para iluminar
A minha vida
Minha querida
E então ficaste
Feito um clarão
Para sempre
Em meu coração!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

A NOITE, O POETA E O AMOR!



A noite já se foi qual triste monja
Banhar-se no rio-mar da solidão
Beijou calidamente o coração
Do poeta e depois partiu!... Lisonja

Recebeu por deixar-se displicente
Ser flagrada despudorada e nua
Dividindo as atenções com a lua
Que surgiu, no horizonte, de repente!

Que cenário mágico! Que beleza
Que paz inaugural da natureza
A inundar com o canto matinal

Dos pássaros a vida de um poeta
Que busca sempre alcançar a meta:
Exaltar o amor sublime, eternal!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

DESENCONTRO DO AMOR: DOIS SONETOS DE FUGA


 
                      I
Estou fugindo de tudo e de todos.
Estou fugindo do meu grande amor
Que em paixão efêmera se transformou...
Por isso e por mais eu fujo de todos.

Estou fugindo desse charco de lodos
Da paixão que nem saudades me deixou.
E a beleza paradisíaca se tornou
Na imundície desse charco de lodos.

São essas, pois, as razões da minha fuga:
Morre o amor e ele então me subjuga
Me levando a uma profunda depressão

Que percebo que pra onde quer que eu fuja
Seguir-me-á essa lembrança suja
Do fantasma que roubou meu coração!
                    II
E é na fuga que aparentemente
Soluciono todos os problemas meus...
Pura ilusão! Inda ouço o adeus
Que o coração dilacerou-se de repente!

Já não sei o que me aconteceu,
Senão que me olhaste friamente
Dizendo que por mim o teu amor morreu
E que me vês como um amigo simplesmente!

Você que foi o eterno sol da minha vida
Há de querer-me um dia, mas desiludida
Verá apenas uma nênia no sepulcro meu.

É a mensagem que escrita em mistério
Decifrada há de ser por meu fantasma etéreo:
"Pelo amor de uma Mulher este poeta feneceu!"

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

UM INDRISO, UMA LUA MINGUANTE E MEU TÉDIO!


Vai minguando a esperança em minh'alma
De um dia ser feliz com a Bem-Amada,
Como a lua que diminui a cada dia

E faz meu peito palpitar sem calma.
Ah! Que sina mal-aventurada,
Que refúgio sem dó da poesia,

Que vida mais insossa e sem remédio!

Saio à rua e a lua me acentua o tédio!

by Manoel Botelho da Silva
Leia Mais ››


gravatar

QUERERES



Quero viver a essência dos poemas
Que escrevi ao longo desta vida
Que me passou fugaz, despercebida
Entre lutas, lamúrias e dilemas.

Quero poder falar de muitos temas
E divagar sobre a emoção contida
Ao ver do galho a folha desprendida
Pelas do vento ser levada algemas.

Quero meu estro falando das venturas
Singulares das humanas criaturas
Que embriagam-se de paz e de luar...

Quero viver assim solto e libérrimo
Como o poema universal, celebérrimo
Que traduz com perfeição o verbo amar!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

LUGAR SEGURO


Em teu colo eu faço o meu ninho -
O meu sonho clandestino de viver!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE AMOR E PAIXÃO


Beijando a flor de tuas entranhas,
Sugando o néctar de teu mel,
Vou descrevendo no papel
A volúpia com que me assanhas

E me transportas até o céu
Numa libido cheia de manhas
Galgando o cume das montanhas
De teus mamilos - doce escarcéu!

E assim possuo-te, insanamente,
Ouvindo o teu gemido ardente
Fonte sonora do prazer

Nesse amor que te arrebata
Sob o argênteo luar de prata
Amo-te até desfalecer!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

EM POLVOROSA E COM VONTADE DE VIVER


Mergulho no silêncio
De minh'alma
Para tentar captar
A poesia deste instante!
Tenho medo de que
Meus versos
Sejam espúrios
E meus poemas
Não passem de poemas.
Quero o brilho das estrelas
Em meus versos
E em meu sentir
O afago noturno e lunar.
Quero que a poesia
Deste instante
Sopre seu hálito de queixa
No mar calmo de meu ser
E me deixe em polvorosa
Com vontade de viver!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE VOLÚPIA & CASTIDADE


A castidade do meu verso dissipou-se
No momento em que trouxeste a volúpia
De um sonho embriagado em beijo doce
A envolver-me inteiramente!... Que astúcia!

A libido, pois, em chamas, despertou-se
Em meu corpo com uma estranha força dúbia
Dissolvendo o que encontrando fosse
De frieza e indiferença com argúcia!

Então te dei os meus sonhos de menino
E fiz-me homem em teu corpo de mulher
Sorvendo do amor a taça erguida.

Entreguei-me nas mãos afáveis do destino
Ancorando-me em tua volúpia: Bem-Me-Quer
Que floresceu no jardim da minha vida!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar


Vieste tão de repente
E de igual modo partiste
Deixando em meu coração
Esse luar vago e triste!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

MAR... SILÊNCIO! O AMOR VAI FALAR...


Minha eterna Namorada,
Ao cintilar das últimas estrelas
Surgirá um novo dia
E então verei dobrar-se
Mais uma página do livro
De tua existência!...

Para presenciar tal acontecimento
Chamarei os pássaros dos céus
E de sua voz maviosa
Farei a mais linda canção de ninar
Para que adormeças, tranquila,
O teu singelo soninho.

Roubarei as cores do arco-íris
Para colorir a estradas por onde passas todos os dias!
Farei o mais belo poema de amor
Para dizer-te, com ternura,
Tudo o que me vai na alma!

Desejo-te tudo de bom
E que possas ser sempre essa pessoa
Maravilhosa
E então jamais me faltará inspiração
Para dizer-te que és o meu
Eterno e grande amor!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

FAGULHA LUNAR



Teu olhar me incendeia
Qual brilho risonho
De esplêndida Lua Cheia! 

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

TERRA, TERRA, TERRA! TANTA GENTE SEM-TERRA!


Leia Mais ››


gravatar

INDRISO ANTÍPODA



A lua está brilhando no Japão
Agora mesmo (e tenho-a sob os pés!)
- Que fascínio louco essa ideia antípoda!

Seres enamorados cantam a canção
De amor inebriante, prenhe de lauréis,
Às suas amadas, dispondo-as à foda!

A lua está brilhando em minh'alma

À luz solar emitindo paz e calma!

by Yara Cínthya Marcondes da Silveira
Leia Mais ››


gravatar

INDRISO GIBOSO



A madrugada espia na janela
Com olhos oblíquos de lua gibosa
E surpreende-me pensando em ti!

E me surpreende a pensar naquela
Noite mágica, encantada, maravilhosa
Em que te entregaste inteira a mim!

A madrugada me espreita, é companhia

Nesta hora de esquecida nostalgia!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

DÚVIDAS


Por que não mais te escrevi tu pensas
Que, de certo, deixei de te amar?!
Saiba, as nuvens podem ser densas
Mas a Lua não deixa de brilhar!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

OH, PÁTRIA AMADA, IDOLATRADA! SALVE! SALVE!



Poetas saudosistas saúdam a Pátria
Exaltando-lhe o porte sobranceiro
Desejando-lhe o melhor dos ideais

Quanto a mim que aspiro a ser um xátria
Levo a vida comum de um brasileiro
Entre outros muitos que não sorriem mais...

Setembro, pois, nos lembra independência,

Mas o povo continua gritando em penitência!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DO QUERER SEM IGUAL



O que queres, meu bem, que eu te faça,
Quando em teus braços busco o teu amor?
Queres ouvir meu gemido e langor,
E que eu beba da lasciva taça

Que me ofereces com tanto ardor?
Queres que eu saia à noite pela praça
Demonstrando o quanto sou devassa
Quando em meus braços bebes meu amor?

Ou queres que de forma bem discreta
Eu te faça o meu lúbrico poeta
E te exalte em ardente apoteose

O jeito macho de homem das cavernas?
Queres, enfim, que eu abra bem as pernas
E contigo intensamente goze?

by Yara Cínthya Marcondes da Silveira
Leia Mais ››


gravatar

POEMA MAIS QUE SONETO À VOVÓ CENTENÁRIA



Malgrado a asa branca ter partido
A melhoria de sua vida procurando
Restou no peito a dor que foi ficando
Ingrata dor de lembrar o tempo ido
Aquele tempo que se foi passando

Depressa, tão depressa, num estalido
Ao pé da cama deixando escondido

Carinho e ternura!... Abençoando
Rostos meninos - te vi um dia cheia de vida -
Um alegre e sorridente, outro triste,
Zangado pra ganhar mais atenção!

Parece que foi ontem. Enternecida
Ias dizendo: o amor que aqui existe
Não há de faltar pra ninguém, não!
Tempo passou... 102 anos, chegou quem eu temia:
Ontem Tanathos te levou, oh, vó Maria!

Melgaço, 22 de abril de 2011.

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Homenagem do poeta à sua avó Maria (madrasta de seu pai), falecida a 21 de abril de 2011 aos 102 anos.
Leia Mais ››


gravatar

LUA CRESCENTE DE SETEMBRO

 

Lua, oh, lua!
Já não estás tão nova assim;
És lua crescente,
Como o sentimento em mim
Daquela morena
Que outrora eu amei...
Sei que no céu resplandeces,
Mas onde ela anda
Eu não sei!...

by Pedro Paulo Barreto de Lima


Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE ANIVERSÁRIO



Há um canto de amor pairando no ar
Há uma ternura planando sobre nós
Um desejo imenso, imenso de te amar...
De contigo sonhar, de sonhar contigo a sós.

Até onde vai o limite do meu olhar
Vejo-te, querida minha, vulcanizada de amor…
E tremo todo e suo e já nem sei falar…
É mágico o momento em que ao teu lado estou!

Oh, vem correndo! O meu corpo te espera
Para vivermos a floração da primavera
Para gozarmos as delícias da paixão.

Eu te amo! Eu te amo! Eu te amo!
Marta, obrigado por estes três anos
Em que fizeste feliz meu coração!

Melgaço, 3 de setembro de 1998.

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

INFINITAMENTE INFINITO











by Jayme Lorenzini García
 
Leia Mais ››


gravatar

UM ENCONTRO MARCADO PELO TEMPO


Rogo ao Pai das luzes que me ajude
A aceitar a distância de teu rosto,
A ausência de teu jeito soberbo de sultana
Vestida pra matar tão simplesmente!

Que morra em mim o desejo de querer
O gosto doce de teus lábios de mel
Mas que nunca, jamais me vença o tempo,
Essa mestre sem par do esquecimento.

Não sei se vieste tarde
Ou se eu parti cedo demais...

Mas sei que trouxeste em tua bagagem
Um grande amor que não pôde ser vivido!

Duas almas gêmeas
Encontraram-se
Na contra-mão da vida
E foi apenas isto...

Mas isto foi tudo
E assim o destino marcou
As nossas vidas
Com a marca indelével
De um grande amor,
O nosso amor!

E essa história é tão comovente
Que me ponho a chorar,
Simplesmente chorar
E agradecer a vida
Por ter posto você
Em meu caminho
Ainda que por um breve momento,
Por uma chuva friorenta de inverno!

Desde então vivo alucinado
Sob o efeito de uma droga
Chamada amor eterno!


by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar
E uma velha ternura de buldogue!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar...
Mas se razão faltar-lhe pra chorar,
É favor vir outro dia bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É buscar, em vão, na velha madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Horário de Brasília

Visitantes

Free counters!

Amigos On Line

Outras Saudades...