gravatar

A MULHER MORENA



Ó Senhor, eu quero essa mulher morena.
Seus olhos castanhos são como o céu da tarde
Seus cabelos negros são como a noite serena
Seus lábios formosos como a rosa escarlate!

Sim! És muito linda, mulher morena,
Teus encantos me conquistam, e me namoras
Dentro de todos os instantes e de todas as horas!

Teu rosto redondo é como uma lua cheia,
Teu belo e constante sorriso me seduz.
Teu canto mavioso é o de uma sereia
E o teu olhar de ressaca é a minha luz!

Ó Senhor, eu quero essa mulher morena.
Seu dorso fresco e macio é como a alfombra
Do seu busto exala um cheiro de açucena
Meu desejo é descansar na sua sombra!

Tua beleza me encanta, mulher morena!
E por estares sempre de bem com a vida
Eu sempre te hei de amar, minha querida!

Tens um coração de ouro, mulher querida,
Não obstante ter sido ingrato o pólio com você.
No entanto, és a dona da tua própria vida
E sabes que a vida foi feita pra se viver!

Isso não te traz melancolia, morena linda,
Pois nunca te deixaste vencer pela tristeza.
Mas vives a vida sabendo que a vida ainda
Te reserva, morena linda, boas surpresas!

Sê feliz, linda morena, você merece!
Tudo de bom eu te desejo de coração.
Sei que Deus ouvirá a minha prece
E te há de cobrir com a sua bênção!

Oh, não! Não me odeies, linda menina,
Por causa deste poema. Se me odiares fujo...
Ó aceita mil e um beijos deste que se assina:
Jaime Adilton Marques de Araújo

Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar,
E uma velha ternura de bulldog!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar.
E, se razão faltar-lhe pra chorar,
Volte, então, outro dia, bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É, procurar, em vão, na madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!...


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Visitantes

Free counters!

Outras Saudades...