gravatar

MORENA



Morena
Teus longos cabelos - caídos no teu rosto levemente -
Negros como a noite serena e sem luar...
Teus lábios formosos como a rosa escarlate
Sorrindo-me intensamente
E a sedutora magia desse teu olhar...
Morena
Mui bela, faceira,
A tua pele trigueira
Eu quero acariciar!

Morena
Meu adocicado mel
Tens o inebriante perfume da rosa.
Vem! Eu quero envolver-te nos braços meus,
Ó minha meiga morena dengosa!

Quando eu for embora um dia
Para um lugar bem distante daqui -
Quando chegar a triste hora do adeus -
Quero, ó Morena, ver-te nos braços meus...
Ah! Quando enfimeu tiver que me despedir
Quero absorver na tua boca a nostalgia
E unir os meus amargos lábios aos doces lábios teus...
E eu, Morena, levarei comigo a saudade
Dos bons momentos floridos de felicidade
Que contigo gozei como se fosse num himeneu!

Morena
A tua linda imagem
Guardarei em meu coração
Que por ti está batendo a mil...
Aonde quer que eu vá, mulher pequena,
Estás comigo ainda que numa ilusória miragem
Pois és o amor da minha vida, a minha grande paixão.
És a perfeição, o maior encnato e o orgulho do meu Brasil!

by Léo Frederico de Las Vegas
À Marta Moraes Garcia
Leia Mais ››


gravatar

À MINHA SEMPRE E ETERNA BEM-AMADA



Minha doce e sempiterna Bem-Amada,
As precárias palavras de que disponho
Não são capazes de expressar
O grande e eterno amor que sinto por você.
Nem tampouco os brevíssimos segundos
Dos incontáveis minutos das inumeráveis horas
Dos sucessivos dias não são suficientes para mim
Quando estou ao teu lado!

Quero-te eternamente!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

ALÉM DAS ERAS



Só o tempo pode curar a cicatriz de um amor
Que se doa doce e inteiramente
Em (e)ternas e sanguineas lágrimas de paixão!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

INDRISO À LUA MINGUANTE



A lua brinca nos teus olhos de menina:
Duas luas azuis que inebriam
E que fazem sonhar mil primaveras!

A lua de teus olhos me fascina!
Luzes azuis que meu ego acariciam
E que me fazem querer as hemosferas

De teus loucos mamilos eriçantes

Fontes secretas do meu prazer minguante!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

TRISTÃO & ISOLDA




Na frugal superfície de tua pele
Sob o doce encanto das palavras
Adivinho a exatidão de tuas álgebras

A despir-me de minha espera imbele.
Com avidez, sílabas de fogo lavras
Nos piercings de minhas pálpebras.

Perdido no labirinto da memória

Eu te busco pra mudar a minha história!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

O DOCE COMPARTIR DA POESIA



Nestas folhas encardidas pelo tempo
Deixo estes poucos versos que floriram
No meu triste jardim e sucumbiram
Ao estertor de um estranho sentimento.

Se, porventura, quiseres um passatempo
Lê-os, que por isso eles suspiram...
(Versos lidos por almas que transpiram
Piedade, sempre cumprem seu intento!)

Pois é triste o poema que exalado
Do poeta a uma gaveta é jogado
E esquecido em sua beleza torta...

A poesia nasceu pra ser compartilhada
Tal qual o meigo olhar da Bem-Amada
Transforma em vida toda natureza morta!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

A CRISTO JESUS RESSUSCITADO



Lá na cruz do calvário doloroso
Martírio Tu sofreste por me amar
Sendo eu, um reles pecador, ditoso,
Venho, pois, Deus amado, Te adorar!

Do inferno - a pena, do céu - o gozo
Não me demovem para em Ti pensar!
Mas saber que foi para me salvar
Que a vida deste, deixa-me zeloso

Co'um desejo de levar a boa-nova -
Anunciar o Teu santo evangelho -
Que do pecado liberta ao que crer!

Sim, Tu transformas, ó Senhor, em nova
Criatura quem dantes era homem velho,
Pois nem a Morte pôde Te conter!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

BRASIL, MEU BRASIL!



Bardo que sou sei que
Resta em meu peito
A coragem de nossos ancestrais!...
Sílvicola, selvagem, tupiniquim,
Indio sou! Sangue bom que me corre nas veias,
Livre, libertário, sem jugo ou cadeias!

Meu desejo de consumo é poder
Estar sempre ao teu pé (bicho-do-pé)
Um ser amalgamado ao teu ser!

Busco ser um filho teu autêntico
Respeitar-te e sonhar para ti um futuro melhor!
Ah, quem me dera logo fosse verdade
Seres sublime e altaneiro entre os demais!
Isso não é impossível, entretanto! Aliás,
Luta com garra, Brasil!... E vencerás!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

A CRISTO JESUS CRUCIFICADO




Anônimo espanhol - século XVI
Não me move, meu Deus, para querer-Te
O imarcescível céu que hás prometido;
E nem tampouco o inferno tão temido
Para deixar, por isso, de ofender-Te!

O que me move em Ti, Senhor, é o ver-Te
Pregado nessa cruz e escarnecido;
Move-me ver Teu corpo dolorido
As afrontas vis sofrendo tão inerte.

De tal forma Teu amor em mim impera
Que, se o céu fosse um mito, eu Te adorara,
Se um mito o inferno fosse, eu Te temera!

Nada tens que me dar pra que eu Te queira:
Sem esperança em Ti, nada esperara,
Mas Te amara, meu Deus, de igual maneira!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

TIRADENTES



A Joaquim José da Silva Xavier
Muito mais que apenas tirar dentes
Ele queria libertar seu povo
Do jugo desumano da Metrópole!

Mas, por sua ousadia, Tiradentes,
Enforcado e esquartejado foi! Método novo
De calar um sonho. Mandá-lo pra necrópole.

Mas o sonho de liberdade não se esfacela, ressuscita,

E Liberdade ou Morte! 30 anos depois o Brasil grita!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

DA JANELA...



Da janela vendo a vida passar
Curti uma infância apagada.
Minha mãe parecia preocupada:
- Se for à rua esse menino vai brigar!

Não a culpo. Mas minh'alma entristada
Não conseguiu o trauma superar
Da cratera que se fez no meu sonhar
Entortando, de saída, minha estrada!

Mas prossigo minha vida sem lamento.
Da poesia o bálsamo e o lenimento
Me acompanham e eu forjo essa canção

Com o suor das noites vampirescas.
Minha história nada tem de pitoresca,
Mas afugento com meu cantar a solidão!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

O GEMIDO DE PINDORAMA



Meu nome é Juracy
Sou filho forte da floresta
Minha tribo vivia em festa
Quando eu aqui nasci.
Éramos todos felizes:
Baraúna, Jupira, Jacy,
Caminhoá, Pitanga,
Paraguaçu, Imbassaí.
Paz com todos era nosso lema
O meu povo era pacífico
Piragibe, Paranaguá, Jurema
Da união são exemplos específicos.
Comíamos até nos fartar
Capivara, jacaré, mandií,
Cutia, paca, lambari
Maracanã, piranha, gambá!
Siriema, socó, quati,
Saracura, jaó, juriti!
Na roças fazíamos farinha,
Tapioca, broa, tucupi,
Com capricho preparado no tipiti.
Arapuca, arataca, cajá,
Saci, moquém, ariribá,
são palavras do povo meu
Que se incorporaram
Ao falar trazido pelo europeu.
Os brancos vieram
E quase nos destruíram
Sua ambição foi-nos cruel
Maltrataram-nos com desprezo vil...
Mas ainda estamos vivos,
Somos filhos de Deus,
Clamamos por reconhecimento e justiça
Não entregamos os pontos
Estamos na liça
Neste 19 de abril!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI N° 5


Festa da alegria
No Japão. Vejo pela TV
Cerejeiras em flor!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

CONVITE LUNAR



Vem, amor, vamos sair, é lua cheia!
E as nuvens invejosas do inverno
Querem cobrir de teu olhar tão terno
A Visão que, prateada, nos enleia!

Vem! Pois no horizonte já se alteia
O amado disco em resplendor eterno!...
Vem ver meu canto humilde, subalterno,
Fazer jus a essa luz que nos rodeia!

Vem! Já fiz das flores do campo o tapete
Por onde vais passar qual soberana
Se tu atenderes, pois, ao meu chamar...

A lua traz-me lembranças de Alegrete!
Pois dou-te a lua e os versos de Quintana
Se hoje, comigo, saíres a passear!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

GAZAL PARA A MINHA DOCE AMADA


Eu fiz um gazal de amor
Para entoá-lo em teu louvor:

- Teus encantos me seduzem
Teu olhar é multicor

A maciez de tua pele
Deixa na minha um ardor

De tal forma que ao pensar-te
Já em mim sobe um calor.

E penso em ti com carinho,
E de mim foge o pudor

Quero tê-la em meu colo
E abraçá-la com fulgor

Pra matar esse desejo
Em meu peito abrasador!
Leia Mais ››


gravatar

BALADA DE AMOR E SAUDADE



Estou morrendo de saudade
De a tua doce voz ouvir.
Expresso com sinceridade
O que no peito estou a sentir:
Tenho desejo de partir
E de você estar pertinho,
Pra essa ternura diluir
E me entregar ao teu carinho!

Passa a vida com brevidade
E quer o meu peito despir
Desse amor sem vaidade
Que está prestes a explodir.
Pois já não posso coibir
Aquilo que, devagarinho,
Me faz querer a ti fugir
E me entregar ao teu carinho!

Amor assim é raridade.
Mas tenho na alma a luzir
A plena luz dessa verdade
Que está sempre a emergir.
Meu ser inteiro descobrir,
Aqui sem nenhum burburinho,
Vou, pra ser feliz e sorrir,
E me entregar ao teu carinho!

OFERTA

Sim, minha sina vou cumprir
Por toda a vida, e, bem velhinho,
Ao teu meu ser inteiro unir
E me entregar ao teu carinho!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI N° 4

Súbito espanto:
Escola em polvorosa
Tragédia em Realengo!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE TERNURA COM AROMA DE MULHER





Roubei às flores campestres sua fragrância verdadeira
E o seu mais puro aroma e seus sonhos e quimeras
Para trazê-los aos teus pés, Cileny Barroso Pereira,
No dia em que tu colhes as tuas quinze primaveras…

Procurei, durante anos, pelos tempos, pelas eras
A imagem que traduzisse e apresentasse prazenteira
Tua doçura de menina (ou tuas garras de pantera)
E a encontrei em tua alma da poesia prisioneira!

Ontem, simples garota, de alma lépida, provinciana!
Hoje, mulher faceira, intrépida, palaciana!
Que saudade de havê-la embalado na canção!

Que vontade de, em meu colo tê-la ninado, criança…
Mas são sonhos, devaneios, delírios!... Mera esquivança
De alguém que foi somente teu pai de alma e coração!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

SAUDADE ABUNDANTE



Estou carpindo saudades de você.
Há ternura por todos os meus poros
E eu te rogo, meu bem, e te imploro
Não quero nem sonhar em te perder!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

QUARTO CRESCENTE, CRESCENTE DESEJO!



É Crescente em mim esse desejo
De, em teus rios, mergulhar tranquilo
E polenizar a rosa de teu sexo.

E te amar de forma sóbria, sem pejo.
E te eriçar além dos toques nos mamilos
E enovelar-te num gostoso amplexo.

Mais que desejo é uma febre fremente
A acompanhar da lua o Quarto Crescente!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

CANTINHO DA SAUDADE


Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar
E uma velha ternura de buldogue!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar...
E, se não tens motivo pra chorar,
É favor vir outro dia bem mais grogue

Por que aqui encontrarás dilacerado
Um coração em cuja pele tatuado
Está o nome da Eterna Namorada!...

E, se já amaste assim, leitor amigo,
Sei que posso, então, contar contigo
Guarda-o, pois, em segredo: Bem-Amada!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

SAUDADE & AUSÊNCIA



Quanto mais o tempo passa
Mais eu sinto tua falta, ó minha Amada,
Eu não sei por onde é que você se esconde
Mas a tua ausência está presente em mim!

Um dia eu irei te encontrar
E então direi: Adeus, adeus saudade!
E pra sempre com você serei feliz
Eu não sei por onde é que você se esconde
Mas a tua ausência está presente em mim!

E por fim essa tristeza
Que atormenta todo dia o meu peito
Vai então se acabar
Eu não sei por onde é que você se esconde
Mas a tua ausência está presente em mim!

by Olímpio José de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

CANSAÇO



Ah, cansado estou de ser eu mesmo!
Sim! Cansado estou desse abandono
A que me entrego a fugir do sono
Nas horas tristes em que vago a esmo

No mundo surreal desse outono
Que faz da primavera tricodesmo.
Nesse cansaço já cheguei ao sesmo
De negar-me a essência que agora clono

Neste verso de volúpia e febre.
Estou cansado dessa vida parca,
Desse doce gozar fugaz e breve

Que me deixa, indelével, sua marca.
Cansado de viver esse dilema
Dou ao mundo meu cansaço num poema.

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI N° 3


Pálpebras ou pétalas?
Ó sorriso rosicler,
Jovem cerejeira!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

EM BUSCA DE RESPOSTAS...



Jaime Adilton, Ilha de Marajó...
É ela quem me busca em desespero
Lá no google e a minha dor maior
(Digo-a, pois, sem nenhum exagero)

É saber-me exilado, triste e só
Dentro de mim o sentimento austero
De não ter como viver esse amor
Sem divisar além um entrevero!

E então busco refúgio em Calíope
Que apazigua o meu olhar tão míope
E me faz ver que a vida é mesmo assim.

Nem sempre vencemos o perde-e-ganha.
E que por mais que a dor seja tamanha
Não chegou de tudo, pois, ainda, o fim.

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

INSCRIÇÃO PARA A MINHA LÁPIDE



Que inscrição colocar em minha lápide
Quando saudoso da vida eu estiver
E a Indesejada a sua mão puser
Sobre os meus ombros e sob sua égide
Levar-me, enfim, ao colo bom da tágide?
Certamente as agruras que passei
As paixões e tudo o que vivenciei
Serão sintetizados em um verso
O mais lindo da lira do universo:
- Nesta vida fui feliz porque amei!

by Jaime Adilton Marques de Araújo
Leia Mais ››


gravatar

RITORNELO



Já não canta a minha lira
Os amores que perdi
E também quanto sofri
Em imensa solidão
Sem ter alguém ao meu lado
Me afagando o coração
Para sempre apaixonado!
Já não canta a minha lira
E isso me deixa cuíra;
Os amores que perdi
Já não canta a minha lira
Mas quem me dera cantasse!
E que por si só bastasse
Dizer o quanto sofri.
Quem dera meu estro desfira
O que sofri e perdi...
Já não canta a minha lira!

by Jayme Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

HAYKAI N° 2

Poça d'água límpida:
O sorriso prazenteiro
Da jovem Lua Nova!

by Jaime Lorenzini García
Leia Mais ››


gravatar

A DESILUSÃO DO MENSTREL



Na vida sou apenas um penetra
E consciente estou do meu papel
Por isso versos procurando o fel
Amenizar faço com rude letra.

Sou chamado, por isso, menestrel
E de um mundo de sonhos sou fenestra
Brincando co'as palavras faço sestra
Mas vivo triste, pois negam-me o céu!

Pois quando chego acaba-se a festa
E minha triste companhia é indigesta
Para alguns e me sinto rejeitado!

Quem sabe um dia num golpe assaz de sorte
Ao colar os meus lábios aos da Morte
Vereis, enfim, meu adeus concretizado!

by Manoel da Silva Botelho
Leia Mais ››


gravatar

ESCRAVO DA TERNURA



Meu coração de tua ternura é escravo
E servo humilde de teus encantos mil;
No dia em que partiste um como cravo
O acertou em cheio e se partiu.

De todas as mulheres do Brasil
(E olha que nisso o Brasil é pródigo)
Tu és a única que conhece o código
De meu amor secreto e varonil!

Por isso exalto nestes rudes versos
A graça de teu porte natural
Sobranceiro entre os mais diversos

Que existem pululando por aí...
Por isso exalto esse amor total
Que aprouve a Deus dar-me a ti!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar
E uma velha ternura de buldogue!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar...
Mas se razão faltar-lhe pra chorar,
É favor vir outro dia bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É buscar, em vão, na velha madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Horário de Brasília

Visitantes

Free counters!

Amigos On Line

Outras Saudades...