gravatar

MEU AMOR, ESTOU SOZINHO…


Meu amor, não vá embora, não!
Fique mais uma estação.
Primavera faz verão
No meu coração! 
Beto Barbosa

Meu amor, estou sofrendo aqui!
Tenha compaixão de mim.
Muito eu sofro por ti,
Não me torture assim!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Eu aqui sofrendo estou
Sentindo falta de você!
Pois teu é o meu amor,
Minha loucura, meu prazer!
Teu perfume eu almejo
Ter juntinho a mim…
Este é o desejo
Que eu tenho de cumprir…
Ah! Meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Tua paixão me devorou
Entranhou-se meu ser…
Sobre a cama me rolou
Levando-me ao prazer!
Oh, cobrir-te de beijos
Isto sempre eu quis
Mas, esse meu desejo
Sei,  não posso cumprir…
Ah! Meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Foi você quem me encantou
Com esse jeito doce de ser!
Sim, você me conquistou
E me fez seu bem-querer!
O que eu mais almejo
É ver-te muito feliz
Sufocando-me de beijos
E me fazendo sorrir…
Ah! Meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Teu olhar me iluminou
E então eu pude ler
Frases de um grande amor
Dentro do teu cândido ser…
Quanto em teus olhos vejo
Esse brilhante rubi
Que expressa o teu desejo
De ter-me junto a ti
Ah! Meu amor, eu fico tão feliz!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Teu amante amigo eu sou
E já pudeste perceber
Que sem a força desse amor
Eu sou um débil ser…
Com meu olhar te protejo
Contra o que possa vir
Frustrar o teu desejo
De entregar-te a mim
Ah! Meu amor, estou sofrendo aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Teu sorriso enfeitiçou
O meu inebriado ser
E hoje eu sou o que sou
Tudo por causa de você!
Meu amor… no teu beijo
Um dia eu me perdi
E externei meus desejos
Em delírios sutis…
Ah! Meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Num belo dia encantador
Às vésperas do alvorecer
Um belo pássaro cantou
Uma canção pra você!
Seu cantar benfazejo
- Um gorjeio feliz -
Num invejável vicejo
Minha paixão bendiz…
Mas, meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Certo dia me falou
Um lírio a fenecer
Que o teu olhar encantador
Foi sua fonte de prazer.
E, fazendo gracejos
Para mim ele diz
Que te enchendo de beijos
Julgou-se a flor mais feliz…
Eu, porém, meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Todo o meu ser se revelou
Nos versos dessa canção:
“Por você, ó meu amor,
Eu morro de paixão!”
O meu maior desejo
É ver-te perto de mim
Porém, olho e não te vejo;
Então repito assim:
Ah! Meu amor, estou sozinho aqui!

Meu amor, estou sozinho aqui!
Venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Meu amor! Minha doce loucura!
Aqui estou sofrendo por você.
Eu amo teu carinho, tua ternura,
Quero ser o teu bem-querer!
Quero ser merecedor do teu afeto
E amar-te por este mundo sem fim.
Então farei da felicidade o meu hobby predileto
E esquecerei a canção que diz assim:

Meu amor, estou sozinho aqui!
Oh, venha me fazer feliz,
Pois ficar juntinho a ti
Foi o que eu sempre quis!

Sim, ficar bem junto a ti
Eis tudo o que eu mais quis!
 


by Léo Frederico de Las Vegas

Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar,
E uma velha ternura de bulldog!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar.
E, se razão faltar-lhe pra chorar,
Volte, então, outro dia, bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É, procurar, em vão, na madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!...


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Visitantes

Free counters!

Outras Saudades...