gravatar

SONETO AO DIA MUNDIAL DO ORGASMO



Gente, hoje é um dia muito gozado!
Ao lembrar desta data ruborizo e pasmo…
Mas preciso dizer aos apaixonados
Que hoje é o dia mundial do orgasmo!

Portanto, gozem de espasmo em espasmo…
Aproveitem este dia ensolarado
Enlaçai vossas mãos, ó enamorados,
Que hoje é o dia mundial do orgasmo!

Hoje, uma lua bissexta e renitente
Há de boiar no céu da madrugada,
No céu da madrugada, qual pleonasmo,

A colher, voluptuosa, o gozo das Amadas…
Portanto, aproveitem esta noite, minha gente,
Que hoje é o dia mundial do orgasmo!

Capanema, 31 de julho de 2002.

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

A FUGACIDADE DO AMOR


Supondo que cada um dos nossos beijos
Fosse o beijo da despedida,
Beijemo-nos, ó Paloma querida,
Beijemo-nos sem cessar…
Amemo-nos, pois talvez
Seja esta a última vez
Que estejamos a beber
Do inebriante veneno da paixão!
Amemo-nos enquanto é tempo
Pois que a vida é mui fugaz
E o amor, o amor é efêmero…

Ante a fugacidade do amor
Que arrebenta os corações
E a transitoriedade da vida
Amemo-nos, pois, Paloma querida!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

UM CANTO DE AMOR


Irresistível és, ó magnífico e esplêndido cenário!
Lugar aprazível de inefável, de inexprimível calma…
Hora sagrada essa em que a lua do céu no lampadário
Aparece tal qual o poema que me salta d’alma!

Deus me fez marajoara e louvo-o com gratidão
Esta imensa paz que me invade o coração!

Marajó! Cenário mágico dos meus sonhos de progresso!
A vida abrindo-se em sorrisos para todos…
Réquiem da minha fantasia, fantasia de meus versos...
A cantar-te a glória futura ainda que esteja no lodo…
Juventude e futuro é o binômio que te traduz melhor
Ó Marajó de encantos mil, meu grande bem, meu amor!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SONETO PARA UMA NOITE DE NÚPCIAS




Nossa primeira noite será, com mil argúcias,
Tão calorosa que viveremos uma lenda.
E é por isto que eu te mando esta Agenda
Para a Nossa Luxuriante Noite de Núpcias:

Quando de todo os convidados forem embora
E estivermos no nosso ninho de amor a sós
Lembrar-te-ei, entre beijos, tudo o que nós
Vivemos antes… as loucuras… namoro afora!

Vou despir-te (entre gemidos) num louco espasmo…
Beijar tua nuca… teus mamilos… e teus quadris…
E afagar-te, com mãos delicadas, o traseiro!

E amar-te, intensamente, sob o luar feliz;
Viver contigo esse amor que é puro e verdadeiro
E enlouquecer-te num puro e gostoso orgasmo!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DA MAL-AVENTURADA DESVENTURA



Ninguém queira sentir o que sentindo estou agora:
Içar a saudade e, após, abandoná-la aos ventos!...
Um amor lindo viver sincero e em pensamentos,
Sem trair, porém, o amor que todo o dia me ancora.

Viver sem medos – deixe ferida aberta, embora...
Não machucar ninguém – nem trair meus sentimentos.
Viver a vida – adolescente por uns momentos
Ah, quem me dera ser! Sim, ser feliz como outrora!

– Por que foste aparecer assim tão tardiamente
Em minha vida, sombra querida do passado?...
– Por que agora, e não antes, se proibido me sabias?

(E eu então te amaria de forma tão languidescente
Que outro amor não haveria que ao meu fosse igualado!...
Mas não posso dar-me inteiro… e… inteiro me terias!)

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE UM SONHO LOUCO...



Amar é beber na concha acústica
De teus olhos o doce mar da alegria…
É transformar a mais singela, a mais rústica
Palavra em simples, mas vibrante poesia!

Amar é pelas curvas todas de teu corpo
Deslizar movido a beijos de paixão;
Amar, enfim, é soltar um uivo louco
E te entregar a chave do meu coração…

Amar você é tudo o que eu mais quero
Nas longas noites sob o cúmplice luar
Pois só você me apazigua o desespero

Em que jaz minh’alma sempre a sonhar…
Um sonho louco no qual sou um vampiro
A morder-te a nuca e os lábios, num suspiro!…

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

FÊMEA FATAL, GATA NO CIO!




Neste instante o amor bate em meu peito
Acelerado me trazendo tua saudade,
Tua lembrança e teu sorriso mais perfeito,
Mais fulgurante que as luzes da cidade.

Teço, acordado, este soluço marginal,
Enquanto arde o meu corpo feito vulcão…
Vontade louca de te amar, fêmea fatal,
De me afogar em teus lábios de perdição!

Olho pra lua e uma sensação estranha
Percorre-me o corpo inteiro num calafrio…
Tua saudade, ó deusa louca, é tamanha!

E estremeço… De ti tão longe morro de frio!
E os meus sentimentos a lua nova os apanha
E os leva a ti, fêmea fatal, gata no cio!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

NA PRISÃO DOS TEUS BRAÇOS




Quero prender-te toda nos meus braços
Durante a noite que se avizinha
Para enlaçar a tua alma com a minha
Na hora mágica dos mágicos cansaços!

Quero tua boca… o eco de teus passos…
A volúpia de tua alma de rainha!
Quero tua companhia para à tardinha
Enovelar-me em teus loucos abraços!

Vou envolver-te numa carícia louca
E te afagar, e te cobrir de beijos
Na sensação de amor que mais adores!

Quero a alma, sorver-te, na minha boca!
E, para, enfim, aplacar-me os desejos,
Beijar-te o ventre… sugar-te o clitóris!!!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

ALMA CONTURBADA



A angústia do poema que não compus
Agiganta-se em minha alma
E me põe numa tal melancolia
Que só a têm as almas suicidas
Dos que se foram sem desespero.
Essa angústia vai crescendo em mim
E sinto vontade de sair correndo
Rua afora à procura de um ombro amigo
Um ombro que me desafogue as mágoas
E me devolva a vontade de viver.

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

POEMA PARA DEPOIS DE MINHA MORTE



Hei de morrer!
Antes mesmo de ter conhecido as desventuras da vida
Terei sido comida de vermes… e adubo de flores!
E por isso o Carpe Diem
Me convida a navegar
Pelo mar da poesia;
A buscar no amor
A minha razão de viver!

Um dia
Minhas mãos frias
Perderão o vigor da juventude
E o pássaro canoro
Que estufa alegremente o meu peito
Terá emudecido sua canção…

Nesse dia
Vereis voar — tão plena de si mesma —
Pela amplidão do céu azul
Minha frágil poesia
E, liberto da lei da gravidade
Levitarei no planeta do Amor!

E assim alcançarei a imortalidade!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

MENSAGEM A GILBERTO BARBOSA



Trazias contigo a esperança
De um futuro melhor
Para o querido povo de Melgaço
Que vinha de um passado de dor.
Mas quis o Destino não governasses
E a esperança ficou mais além…
Mas dentro do nosso peito a mensagem
Que nos enviaste, Gilberto,
Palpita a céu aberto:
“Melgaço, eu te quero bem!”

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SONHO DE CONSUMO


Longe da civilização
Quero viver meu grande amor!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

EMBALA O MEU SONO…



Vem, ó minha meiga mulher morena…
Vem, minha suave Musa encantada…
Sim, vem agora, ó esplêndida fada
E embala o meu sono na noite serena!

Embala o meu sono com tua doce canção
Para que eu sonhe com o teu amor…
Amor que acorrenta o meu coração
Que palpita feliz sem angústia nem dor!

És o meu lindo sonho que tenho sonhado.
És o mais belo encanto do meu mundo encantado…
Enfim, és o meu grande amor proibido!

Teus lábios ardentes, tua pele macia…
Tudo o que há em ti é a mais pura poesia…
Embala, pois, o meu sono, querubim querido!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

REINVENTANDO A VIDA

A Cecília Meireles


A mim é imprescindível reinventar a vida
Posto que a vida só é possível reinventada.
— Os pássaros cantam sua canção querida
E libertos voam alegres em linda revoada…

Sopra o vento numa fúria desenfreada
E ao seu furor eis uma folha caída…
Isto prova que tudo é ilusão, mas nada
Preenche o vazio de uma afeição perdida.

Porém, a vida, eu tenho que reinventá-la
E quiçá, nos versos de um soneto cantá-la
Pois a vida é minha última lírica fantasia…

Então depois de reinventada e ser possível
Hão de todos louvar a beleza indizível
Da vida minha, meu tudo, minha alegria!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SER AMIGO



Ser amigo
É sorrir nos
Maus momentos
E voar alegre
Nas asas do vento
É esperar
Ter paciência
Pois tempo
Pra tudo há
Ser amigo
É também
Confiar!

Ser amigo
É aceitar
O outro
Tal como
Esse outro é
É corrigir
Com carinho
Sem ferir
Com algum espinho
Ser amigo
É também
Compreender

A mensagem
Que o outro
Nos transmite
Através de um
Simples olhar!
É dar mais
Uma chance
Abraçar quem
Nos machuca
Esquecer
As diferenças
E perdoar!

Só entende
De amigo -
Ora, preste
Bem atenção -
Quem entende
De alma e coração!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE DELÍRIO E FEBRE




Sobre os bicos delirantes dos teus seios nus
Pouso meus lábios excitados de desejo
E ofereces teu corpo coberto de luz
À febre demente e insensata do meu beijo!

Quando, através do tato, surpreso, te vejo
- Tal qual um verso de amor que encanta e seduz -
Os lábios entreabertos, não perco o ensejo
De mordê-los, sugá-los, beijá-los a flux!

Despontando na sombra em completa nudez
Entonteces meus olhos míopes, deslumbrados,
E me deixas na mais sublime embriaguez!

E eu te amo, purificando-te em meus pecados!...
- Unidos até a alma - vou ao mel de nossas bocas
Esculturando-te inteira em minhas mãos loucas!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

NA MOLDURA DA CAMA…



Na moldura da cama, tigresa domada,
Quero ver-te felina pronta para o amor…
Quero beber de teus olhos na face nacarada
O supremo elixir da poesia em flor.

Quero pousar minhas mãos em teus dedos tranqüilos
E descansar febrilmente de teu corpo no oásis…
Quero, de leve, eriçar os teus loucos mamilos...
E arrancar-te dos lábios as mais ardentes frases

De um amor cujo frêmito fosse a voz das estrelas
Em luxúria desfeitas deslizando-se pelas
Tuas líricas coxas sob o véu da madrugada…

Quero ouvir-te os uivos de teu cio delirante
E em teus braços dizer que te amo, ofegante,
Na moldura da cama, tigresa domada!

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr.
Leia Mais ››


gravatar

SONETO DE CORPO E ALMA




Quero entrar de corpo e alma em tua libido
E ser o anjo que te possui loucamente;
Quero em teus sonhos te amar perdidamente
E despetalar a flor de teu corpo despido.

E, além das últimas estrelas reluzentes,
Ser o orgasmo em teu desejo desinibido;
Uma avalanche de sensações inconseqüentes
A incendiar-te num carinho estremecido…

Quero ver-te louca, louca e deslumbrante.
Ser teu comparsa, teu espelho e teu amante;
E que em busca de minha alma chores…

Quero ser um anjo louco, um vampiro
Que te amasse intensamente e um suspiro
Teu arrancasse ao sugar-te o clitóris!

Capanema, 11 de julho de 2002.

by Daniel Jônatas M. de Queirós Mauá Jr. / Abnéas Rodrigues Jr.
Leia Mais ››


gravatar

ASSIM QUE PUDER



Assim que puder, meu bem, eu morro
De tristeza de não mais te ver.
Assim que puder, meu bem, eu corro
Faceiro ao encontro de você!

Assim que puder, meu bem, socorro
Vou pedir aos deuses do amanhecer!...
Assim que puder, meu bem, o morro
Da saudade escalo por você!

Assim que puder... às andorinhas
Grito teu nome - elas hão de ouvir -
E a você as tantas saudades minhas

Hão de levar, enquanto eu, por aqui,
Debalde tento viver... em vão...
Sem você tudo aqui é solidão!

by Pedro Paulo Barreto de Lima
Leia Mais ››


gravatar

SÍNTESE



Se por curiosidade um dia me perguntares:
“Por que ocupas todo o teu tempo com versos?”
Responder-te-ei com os meus meigos olhares:
“O romantismo poético é o meu universo.”

E, se lendo os meus poemas encontrares
Algo misterioso em ilusões submerso;
Se te iludires com tudo que contemplares
Saiba que aí eu também estarei imerso…

Para você sempre terei uma mensagem
Em cada verso dos poemas que componho
E que refletem fielmente a minha imagem.

Quanto a mim quero viver esse lindo sonho
E alçando vôo conhecer a incógnita paisagem
Do rio-poeta que emana em mim risonho!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

AO CRIADOR



Numa tarde como esta
Eu me ponho a cantar
E meu canto na floresta
Ouço ao longe ecoar;
Eu canto alegremente
Louvando ao Criador
O bom Deus Onipotente
Que por mim tem grande amor!

À noite eu faço uma seresta
E canto até o sol raiar
Sob o som de uma orquestra
Eu canto para louvar
Àquele que ternamente
A mim com muito carinho amou;
E então suavemente
Eu agradeço ao meu Senhor!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


gravatar

ESTOU COM SAUDADES…



Estou com saudade
Dos teus beijos
Dos teus abraços apertados…
Estou morrendo de desejos
E tão sozinho neste quarto
Que fico a sós a inventar
Sob a luz patética do luar
As mais venturosas maneiras
De te amar.

Estou com saudade
Dos teus dedos-âmbar
Acariciarem meu corpo nu.
De afogar-te nesse mar tão grande
De amar-te intensamente
De norte a sul.

Estou com saudade
Das tuas coxas quentes
E do teu gostoso
E do teu discretamente delicioso
Favo de mel!

Quero outra vez, ó Amada,
O teu gemido ardente
A me deixar contente
Na hora sagrada
Do himeneu!

by Léo Frederico de Las Vegas
Leia Mais ››


Apresentação

Cantinho da Saudade é o espaço virtual de compartilhamento de meus rabiscos de poesia produzidos desde 1994 até a atualidade, através dos quais canto a vida em suas múltiplas nuances! Os poemas que aqui vão são elaborados de acordo com as mais variadas regras e temáticas da arte poética clássica, moderna e contemporânea, consoante as múltiplas vozes de meus heterônimos!


Prefácio

Cantinho da Saudade é o meu blog
Onde quase sempre venho postar
Arrebóis, luas ternas, brisas do mar
E uma velha ternura de buldogue!

Mergulhe à vontade, mas não se afogue
Nas águas cristalinas desse mar...
Mas se razão faltar-lhe pra chorar,
É favor vir outro dia bem mais grogue,

Pois aqui encontrará um coração
Dilacerado sob o plenilúnio
De lembranças perenes de emoção

E saberá que da vida o infortúnio
É buscar, em vão, na velha madrugada,
O sorriso da Eterna Namorada!


Visitas de Calíope e Érato

Colaboradores

Tradução Simultânea

English French German Spain Italian
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic

Previsão do Tempo

Formas Poéticas

Acróstico (74) Aldravia (5) Balada (7) Caligrama (10) Dez-De-Queixo-Caído (2) Duotrix (8) Epigrama (5) Espinela (1) Ethree (1) Gazal (6) Haicai (48) Indriso (52) Limerik (3) Monóstico (1) Moteto (6) Plêiade (4) Poetrix (43) Quadra (29) Ritornelo (3) Rondel (58) Rondó (8) Roundel (1) Rubai (9) Sextina (1) Sonetilho (4) Soneto (410) Terza-Rima (1) Tradução (5) Triolé (11) Trova (11) Vilancete (4) Vilanela (2) Virelai (4)

Assunto Temático

Estatísticas...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Postagens!

Horário de Brasília

Visitantes

Free counters!

Amigos On Line

Outras Saudades...